Quem vai poder receber o microcrédito de R$ 3 mil pelo Caixa Tem?

A Caixa Econômica Federal deve anunciar no final deste mês de setembro, as regras do programa de microcrédito, destinado aos usuários do aplicativo Caixa Tem, ferramenta está utilizada pelos brasileiros para movimentarem diversos programas sociais e emergenciais como é o caso do auxílio emergencial.

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o objetivo é oferecer empréstimos aos brasileiros de baixa renda que não possuem acesso a bancos digitais.

Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Microcrédito Caixa Tem

O microcrédito ofertado pelo Caixa Tem, terá valores entre R$ 500 e R$ 3 mil, a vantagem dessa opção é a possibilidade de pagamento que pode variar entre 18 e 24 meses. Além disso, o beneficiário realizará toda a ação de forma online, ou seja, desde o momento da contratação até o recebimento dos valores, o trabalhador poderá fazer direto de seu celular.

De acordo com declaração de Pedro Guimarães, o objetivo é atender ao menos 30 milhões de pessoas por meio do microcrédito. A opção já estará pré-aprovada no aplicativo dos usuários e os mesmos já saberão exatamente o valor a contratar bem como as parcelas a pagar.

“A maioria das pessoas não consegue fazer o cálculo de juros compostos. O importante é quanto eu vou pagar por mês e se isso cabe no orçamento. Então, esse programa nós já vamos lançar quando for realizar o Bolsa Família. Sobre o novo Bolsa Família, a Caixa Econômica e eu estamos envolvidos na parte operacional, quem realmente está fazendo essa discussão é o Ministério da Cidadania com o Ministério da Economia”, destacou.

Inicio do programa

Em última declaração, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, havia informado que o objetivo é lançar o microcrédito até o final do mês de setembro. O objetivo do banco é conjugar a liberação do microcrédito com o fim dos pagamentos do auxílio emergencial.

Assim a expectativa é de que o microcrédito esteja disponível a partir de novembro, após os pagamentos do auxílio emergencial de outubro, que será o pagamento da sétima e última parcela do auxílio emergencial 2021.

“A gente vai conjugar o final do auxílio emergencial com o começo do programa de microcrédito para 30 milhões de pessoas. Nós vamos conjugar com dois grupos: o grupo que vai receber o Bolsa Família, este grupo não tem condição de pagar, então é uma transferência de renda, e o grupo com condição de pagar”, informou Guimarães.

Fonte: Rede Jornal Contábil.